8 SINAIS DE QUE VOCÊ NÃO TEM INTELIGÊNCIA EMOCIONAL

Desde o lançamento do livro de Daniel Goleman sobre Inteligência emocional esse tema tem sido muito estudado e o mais interessante é que quando mais se estuda mais relevante se torna. O conceito de inteligência emocional tem ocupado espaço na literatura da liderança, processos de coaching  e nos últimos anos pesquisas no campo da neurociência social. Ela serviu como elo perdido em um achado peculiar: as pessoas com QI médio superam aquelas com o QI mais alto em 70% do tempo. Essa descoberta jogou uma chave maciça na suposição geral de que o QI era a única fonte de sucesso.

Décadas de pesquisa apontam agora para a inteligência emocional como sendo o fator crítico que separa os atores principais do resto do grupo. A conexão é tão forte que 90% dos funcionários de alto desempenho possuem alta inteligência emocional.

Jack Welch disse que:

“Sem dúvida, a inteligência emocional é mais rara do que a inteligência do livro, mas minha experiência diz que é realmente mais importante na formação de um líder. Você simplesmente não pode ignorar isso.”

A inteligência emocional  parece ser algo intangível, ela afeta a forma que administramos o comportamento, navegamos nas complexidades sociais e tomamos decisões pessoais para alcançar resultados positivos.

Apesar da importância do QE, a sua natureza intangível torna muito difícil saber quanto você tem e o que pode fazer para melhorar se estiver em falta. Você sempre pode fazer um teste cientificamente validado, como o que vem com o livro Emotional Intelligence 2.0.

Como os testes de qualidade de QE não são gratuitos. Eu selecionei aqui alguns tópicos analizados pelo  TalentSmart testado por milhares de pessoas para identificar os comportamentos que são a marca registrada de um baixo QE.

Os comportamentos que devem ser eliminar do nosso repertório são:

1.Ficar estressado facilmente. Quando você guarda seus sentimentos, eles rapidamente constroem as sensações desconfortáveis ​​de tensão, estresse e ansiedade. As emoções não endereçadas sobrecarregam a mente, corpo e a alma. Suas habilidades de inteligência emocional ajudam a tornar o estresse mais manejável, permitindo que você identifique e enfrente situações difíceis antes que as coisas aumentem.

As pessoas que não conseguem usar suas habilidades de inteligência emocional são mais propensas a recorrer a outros meios menos eficazes de controlar seu humor. Eles são duas vezes              mais propensos a experimentar ansiedade, depressão, abuso de substâncias e até pensamentos de suicídio.

2. Ter dificuldade em fazer afirmações para si mesmo. Pessoas com QE alto equilibram boas maneiras, empatia e gentileza com a capacidade de se afirmar e estabelecer limites. Esta combinação de tato é ideal para lidar com conflitos. A maioria das pessoas que se comportam dessa maneira adotam um comportamento passivo ou agressivo. Pessoas emocionalmente inteligentes permanecem equilibradas e assertivas, afastando-se de reações emocionais não filtradas. Isso permite que elas neutralizem pessoas tóxicas sem criar inimigos.

3. Você tem um vocabulário emocional limitado. Todas as pessoas experimentam emoções, mas são poucas as pessoas que podem identificá-las com precisão quando elas ocorrem. Na pesquisa do talent smart mostra que apenas 36% das pessoas conseguem fazer isso, o que é problemático porque as emoções não rotuladas costumam ser incompreendidas, o que leva a escolhas irracionais e ações inadequadas. Pessoas com QE alto dominam suas emoções porque as entendem e usam um extenso vocabulário de sentimentos para fazê-lo. Embora muitas pessoas possam descrever a si mesmas como simplesmente se sentindo “mal”, pessoas emocionalmente inteligentes podem identificar quando se sentem irritadas, frustradas, deprimidas ou ansiosas. Quanto mais específica for sua escolha de palavras, melhor será sua percepção. Exatamente como você está se sentindo, o que causou e o que você deve fazer a respeito.

4. Fazer suposições rapidamente e defender fervorosamente. As pessoas que não têm QE formam uma opinião rapidamente e depois sofrem com a afirmação, o que significa que coletam evidências que sustentam sua opinião e ignoram qualquer evidência em contrário. Isso é especialmente perigoso para os líderes, pois suas ideias pouco pensadas se tornam a estratégia de toda a equipe. As pessoas emocionalmente inteligentes deixam seus pensamentos marinarem, porque sabem que as reações iniciais são motivadas por emoções. Elas dão tempo aos seus pensamentos para desenvolver e considerar as possíveis conseqüências. Em seguida, ela comunicam sua ideia desenvolvida da maneira mais eficaz possível, levando em conta as necessidades e opiniões de seu público.

5. Guardar ressentimentos. As emoções negativas que acompanham o rancor são, na verdade, uma reação ao estresse. Basta pensar sobre o evento e enviar para seu corpo em modo de luta ou fuga, um mecanismo de sobrevivência que obriga a se levantar e lutar ou correr para longe quando confrontados com uma ameaça. Quando uma ameaça é notável, essa reação é essencial para sua sobrevivência, mas quando uma ameaça é uma história antiga, manter esse estresse causa estragos em seu corpo e pode ter consequências devastadoras para a saúde ao longo do tempo. De fato, pesquisadores da Emory University mostraram que a retenção de estresse contribui para a pressão alta e doenças cardíacas. Manter rancor significa que você está se segurando, e as pessoas emocionalmente inteligentes sabem evitar isso a todo custo. Liberar o rancor não só faz você se sentir melhor no momento presente, mas também contribui para melhorar sua saúde. Eu falo com mais detalhes sobre esse tema no meu livro: Emoções Tóxicas, um veneno para a sua alma. http://josieoliveira.com/livro-emocoes-toxicas/

6. Não desapegar dos erros. Pessoas emocionalmente inteligentes desapegam de seus erros, mas o fazem sem esquecê-lo. Aprender com os erros é útil para levar essa pessoa a uma reflexão e assim a capacita fazer ajustes para o sucesso futuro. É preciso ter autoconsciência refinada para caminhar nessa corda bamba entre desapegar e lembrar. Permanecer pensando nos erros cometidos podem deixar essa pessoa ansiosa ou inibida, ao passo que esquecê-los completamente faz com que você os repita. A chave para equilibrar está em sua capacidade de transformar falhas em aprendizados para melhoria. Isso cria a tendência de se levvantar cada vez que você cair.

7. Você freqüentemente se sente incompreendido. Quando você não tem inteligência emocional, é difícil entender como você se depara com os outros. Você se sente incompreendido porque não entrega sua mensagem de uma forma que as pessoas possam entender. Mesmo com a prática, as pessoas emocionalmente inteligentes sabem que não comunicam todas as ideias com perfeição. Elas entendem quando as pessoas não entendem o que estão dizendo, ajustam sua abordagem e redireciona a comunicação de uma forma que pode ser compreendida.

8. Você não conhece seus gatilhos. Todo mundo tem gatilhos – situações e pessoas que pressionam seus botões e fazem com que eles ajam impulsivamente. Pessoas emocionalmente inteligentes estudam seus gatilhos e usam esse conhecimento para evitar situações e pessoas antes de obter o melhor deles.