Posts

COMO O TRAUMA AFETA A SUA VIDA?

Nesse último ano eu tenho sido contactada por pessoas que lutam com as consequências do trauma. A maioria se sentindo perdida e às vezes até  desesperadas e prontas para fazer o que for preciso para obter ajuda.

Com essa experiência foi possível observar que a falta de boas informações sobre o trauma tem sido um dos maiores obstáculos para a maioria dos sobreviventes lidar com a situação traumática que viveram.

Quero deixar aqui nesse artigo alguns pontos que entendo ser de grande relevância para as pessoas entenderem melhor sobre o trauma.

O que é o trauma?

De acordo com a associação americana de psiquiatria o trauma é definido como:

A experiência pessoal de um acontecimento que envolve a morte ou ameaça de morte ou ferimento grave, ou ameaça à integridade física; ou testemunhar um acontecimento que envolve a morte, ferimento ou ameaça à integridade de outra pessoa; ou ter conhecimento de uma morte inesperada, ou violenta, ferimento grave ou ameaça de morte ou doença grave de um familiar, ou amigo próximo.

O trauma pode ser um evento único, um evento prolongado ou uma série de eventos. O trauma que afeta uma comunidade ou um país é chamado de trauma coletivo.

Com a vivência de uma experiência dolorosa, é formada uma memória traumática na pessoa. Essa situação irá transformar em uma  soma de emoções que foram registradas através das imagens, sons e todos os sentimentos vivenciados a partir da ocorrência do trauma.

O trauma é armazenado somaticamente. Suas consequências mais perturbadoras ocorrem nas redes sensoriais, no sistema nervoso e no nervo vago que conectam muitas partes do corpo, incluindo o cérebro e o intestino. Temos que envolver todos esses sistemas para chegar à raiz do trauma.

O trauma coloca os sobreviventes em alerta máximo constante, uma resposta de sobrevivência útil para proteger contra traumas adicionais. Mas essa sensação de alerta também bloqueia o acesso às raízes profundas do trauma no corpo.

As memórias traumáticas residem como experiências congeladas. Eles tiram a espontaneidade, um dos recursos mais importantes para os sobreviventes seguirem em frente.

O trauma é complexo em seus impactos, portanto, o tratamento também precisa ser complexo. De forma gradual, precisamos fortalecer vários aspectos do bem-estar de um sobrevivente, entre eles: emocional, físico, cognitivo, espiritual e social.

O recomendado para um sobrevivente de um trauma é iniciar trabalhando a autorregulação, ou seja, regular a si mesmo.

E para que esse texto não fique muito extenso, falarei sobre a autorregulação no próximo artigo.

Se você está vivendo os sintomas traumáticos, peça ajuda, não queira “dar uma de supermulher ou super-homem” e tentar superar sozinho. As memórias traumáticas não irão embora sozinhas e sempre aparecerão consequências futuras, caso não sejam resolvidas.

 Será um privilégio te ajuda nessa caminhada! Entre em contato.

 

Dra. Josie Oliveira

Info@josieoliveira.com