Posts

O PODER DA AUTODESCOBERTA

A quase duas décadas, eu iniciei uma viagem que parecia não ter fim. Nessa viagem, vivi experiências incríveis, tanto no âmbito pessoal como no profissional, e hoje posso entender que se não tivesse embarcado nessa viagem, eu não seria a pessoa que me tornei.

Nessa viagem pisei em lugares com solo firme, algumas vezes caminhei em lugares com buracos, lama, barro, pedras e até areia movediça. Para você que não conhece o que areia movediça, é um fenômeno natural no qual a areia, por estar embebida em água, não oferece resistência, e quando se pisa nela, a possibilidade de se afogar é grande. Pois é! Como você pode observar, passei por lugares perigosos nesse percurso, contudo, também passei por lugares lindos, pisei em grama macia e até em pastos verdejantes e solo firme.

A jornada não foi nada fácil, porém, foi possível superar os desafios encontrados no caminho e finalmente chegar no local de repouso.

Em muitos momentos dessa jornada eu pensei em desistir e voltar para o local inicial, pois eu não acreditava que iria suportar a pressão da viagem, porém, eu não desisti e confesso que parei muitas vezes e tiveram momentos que até adormeci. Nesses momentos, deixei o medo entrar e com ele vieram a tristeza, a raiva, angústia e sentimentos de vingança. Cheguei até a me desesperar em alguns momentos, contudo, eu sempre tive a mão de Deus comigo e nos momentos mas difíceis, Ele me enviou um anjo que me ajudou a enxergar outro caminho que eu ainda não tinha visto para poder proseguir na viagem.

Muitas vezes, as pessoas que encontramos no caminho, nem sempre irão nos ajudar da forma que queremos, porém, de uma forma ou de outra, toda elas são usadas como instrumento para nos lapidar, porque nascemos como uma pedra crua que precisa ser lapidada para deixar seu brilho sair, e conforme vamos vivendo nossas experiências, vamos deixando esse brilho sair de dentro de nós. Com isso, ganhamos muitas coisas, uma delas é o amadurecemos através dessas pessoas e experiências vividas com elas.  O engraçado é que na maioria das vezes iremos arquivar lembranças marcante que muitas vezes podem não serem boas para nossa saúde emocional, e se não forem tratadas, poderão fazer um dano terrível na nossa caminhada.

Essa viagem foi o a autodescoberta, nela eu pude ter um encontro interno  profundo e descobri que eu era a única pessoa que poderia mudar essas marcas e dores vividas na minha vida. Descobri o quanto era possível viver minha superação e iniciar de onde eu havia parado e com isso, ganhei muitos presentes, entre eles, a autoconfiança. Gerei uma autoimagem positiva incrível e me deparei com minha força interior, podendo usufluir das minhas melhores habilidades e entendi  o que eu ainda não havia entendido até o momento. Finalmente, aprendi a ser resiliente e comecei a alçar voos altos, e uma frase que me marcou muito foi que “o ceú é o limite” para uma vida abundante.

Agora, acesse a nossa Revista Digital onde  compartilho com você 5 dicas que descobri durante essa viagem.

https://revistadhemfoco.com/

 

Workshop – Como se adaptar para ser feliz nos USA?